terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Imortais



Steve Jobs e Amy Whinehouse foram dois dos mais celébres que desapareceram no ano de 2011.

O primeiro devido a um cancro e a segunda relacionada com problemas de alcóol e drogas.

Ambos deixaram uma marca nas suas actividades e foram pioneiros. Se Steve Jobs revolucionou o mundo dos gadgets e da tecnologia, Amy trouxe para o mundo da música uma voz incontornável e irrepetível....


Recentemente os dois lançaram as suas duas ultimas obras. Jobs fez uma biografia e Amy deixou-nos o seu ultimo cd. Tanto o livro da vida de Steve Jobs como as ultimas musicas de Amy estão a ser um sucesso por esse mundo fora, sendo possível que alguém receba no sapatinho algum destes obras.


É curioso verificar o sucesso de obras de pessoas que já faleceram. Admitia-se uma venda significativa mas o que se passa é que tanto o livro como o cd estão a ser vendidos aos milhões. Não é alheio o facto das pessoas quererem ter uma ultima recordação daqueles que desapareceram e deixaram obra. Muitos nem sequer são fans ou gostam do estilo dos falecidos, mas a realidade é que às vezes parece que o sucesso vem depois a título póstumo.


No fundo, Jobs e Whinehouse são imortais!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Já não há Ski nem presentes

Segundo as ultimas notícias os portugueses estão mesmo a mudar de mentalidades devido à crise.

Parece que as medidas de austeridade impostas pelo Governo estão a ter reflexos e a chegar à "mente" das famílias portuguesas.

Pelo que se tem visto, muitos são aqueles que já não compram presentes nesta altura do ano e quem compra apenas o faz por "lembrança". Também é um facto que o Natal é mais importante pela sua capacidade de reunir as familias e criar um espírito de solidariedade entre todos. Os presentes têm mais significado para os pequenos, mas mesmo esses vão crescendo e até estão a nascer menos bébés cá em Portugal. Mas isso também é culpa da crise.

Em relação às férias, também parece que muitos vão ficar por cá festejar a passagem de ano e não irão ao Ski, Brasil, caraíbas ou outras aventuras mais além.

Esta quadra festiva em que muitos aproveitam para esbanjar dinheiro é o primeiro teste à capacidade dos portugueses em se controlarem no primeiro da austeridade.

Para o ano já não haverá ceia de Natal e muito menos encontros entre familiares que estão longe uns dos outros.

Afinal, a crise parece que veio trazer algo de positivo : consciência na hora de gastar!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Com o tratado na mão

Os 27 reunem-se hoje e amanhâ em Bruxelas para decidir e resolver a questão da crise europeia e da zona euro.
Sarkozy e Merkel já fizeram a proposta/imposição aos demais países. Agora a escolha é dos Estados-Membros que costumam alinhar nas invenções franco-alemãs.
Uma coisa é certa, Passos Coelho terá uma importância secundária e a ele resta-lhe ouvir o que os outros vão decidir.
O mais certo é que avance um novo tratado para que haja maior rigor orçamental e regras no cumprimento dos déficit. Os países do Leste e do Norte da Europa não querem mais irresponsabilidade vindas do Sul. Assim estes ultimos estão entre a espada e a parede e terão pouca margem de manobra.
O dueto Merkozy têm a maioria da Europa a seu lado. Pelo que a cimeira destes dois dias poderá ser o principio do fim da autonomia financeira portuguesa.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Novo grupo dos 17

Ontem Sarkozy e Merkel anunciaram que vão proceder a um novo tratado europeu. Os dois sozinhos vão fazer um novo diploma que será apresentado na cimeira de 8 e 9 de Dezembro e que não poderá ser rejeitado, mesmo que essa seja a vontade dos restantes 27, de Deus, do pai da Fanny e de qualquer cidadão anónimo europeu que queira ter opinião sobre o assunto.


Desta vez, e para além das anunciadas sanções para quem exceda o défice orçamental, regras que eu concordo; os dois representantes dos 27 afirmaram que se fosse necessário fariam um tratado apenas para os 17 membros do Eurogrupo e para os restantes países que mais tarde ou mais cedo se irão juntar ao Euro, menos a Inglaterra.


Aqui está uma novidade e o principio da Europa a duas velocidades. Quem cumpre com as regras desse novo tratado, que não seria mais que um Memorando Financeiro Europeu, poderá alinhar no euro, os outros que violarem as permissas estão condenados a abandonar o grupo.


O que o clâ Merkozy quer fazer é dar um aviso claro aos incumpridores, Portugal incluido : Ou agora cumprem rigorosamente com o Memorando da troika e depois entram na linha ou então estarão excluídos para sempre do Euro e quiçá da União Europeia.


segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Vão acabar? Ou vão acabar com a Europa?

Hoje Sarkozy e Merkel reunem-se mais uma vez para preparar a cimeira europeia dos próximos dias 8 e 9 de Dezembro.

É o 198º encontro entre os dois, apesar dos rumores de um possível romance entre os dois países mas também entre eles próprios. O namorico continua e não há meio de acabar. Assim, só o poder popular para finalizar uma história que tem causado prejuízos a milhões de pessoas. Umas vezes num hotel, outras num palacete qualquer........mas eles continuam na mira dos jornalistas. Curioso é verificar que nem Mario Monti consegue meter-se no meio do casal.


Infelizmente ninguém sabe o que se passa lá dentro.....


A decisão que sairá deste encontro será a mais que provavél alteração dos tratados europeus. Eurobons nada. reforço das Instituições europeias zero. A solução para Merkel e Sarkozy passa por nos darmos ao trabalho de fazer mais um tratado europeu que não servirá para nada e que não ser aplicado. Lembram-se quando foi assinado o Tratado de lisboa? 2007 e entrou em vigor em 2009.....

Assim Lisboa passará à história e uma qualquer cidade francesa ou alemâ dará o nome à vontade dos dois lideres europeus. Sim, porque os outros são espantalhos.

Cabe ao povo alemão e francês evitar no próximo ano uma catástrofe para a Europa mudando os seus lideres.

Sim, porque até à conclusão de um novo tratado muitos beijos entre os dois irão ser trocados.

Esperemos que seja um romance passageiro....

domingo, 4 de dezembro de 2011

Crónicas de Domingo - Na próxima é que é

Na próxima semana vai-se realizar uma Cimeira Europeia que todos apontam como decisiva. A dupla Sarkozy-Merkel já o disse e o Primeiro Ministro Passos Coelho afirmou o mesmo na entrevista que deu Quarta Feira à SIC.
Pior e mais preocupante é o facto de nenhum destes três personagens saber exactamente o que se vai passar em Bruxelas, e muito menos o que irá propor em termos de medidas para resolver a crise. Nem que seja um bocado dela.
Como tem sido apanágio nos ultimos tempos, qualquer cimeira da UE tem sido rotulada de decisiva para o futuro da Europa. Mas nada se resolve e a nenhum consenso se chega. Não sei se é para fazer publicidade à reunião europeia mas a realidade é que nada é decidido na dita reunião decisiva.
Tudo fica adiado para um próximo encontro, como se fosse um casal de namorados à espera do primeiro beijo para iniciar a relação. Na próxima é que é!
A Europa não pode esperar mais, quanto mais a Grécia, Irlanda, Portugal e Itália.
Parece que estamos à espera que a Itália entre em default para que o sinal de emergência toque e aí sim os chefes europeus vão tentar pensar numa solução.
Mas pode ser tarde....

sábado, 3 de dezembro de 2011

Assobios do aparelho

A polémica em torno da ida de Miguel Relvas ao congresso da ANAFRE só mostra que em Portugal o aparelho funciona muitíssimo bem.
Sabendo da presença do Ministro dos Assuntos Parlamentares os Presidentes das Juntas de Freguesia já estavam preparados para fazer pressão. Assobios à chegada, durante o discurso e tarjas a pedir a demissão do Ministro mais influente do executivo.
É curioso verificar que em Portugal ainda é dificil as pessoas aceitarem a mudança. As Juntas de Freguesia que não servem rigorosamente para nada são uma escola de aprender a estar na política. É ali que são os primeiros passos.
Uns dizem que não custa dinheiro, outros afirmam que servem para estar junto das populações....
A verdade é que as Juntas são completamente ineficazes e desnecessárias. Poucos ligam a não ser o Presidente da Junta que adora ser chamado de Presidente da Junta. Lembram-se do skecth do "herman"?
É uma excelente medida acabar com algumas juntas de freguesia.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Da morte só mesmo na teoria

Holanda, Dinamarca e Alemanha. Estes são os adversários de Portugal no Euro 2012. Não nos calhou a França e a Espanha mas temos ossos bem duros de roer.
A Holanda é certo e sabido que temos hipoteses pois o historial joga a nosso favor, mas a Laranja é vice-campeâ mundial e joga um futebol atractivo para além de ter jogadores experientes.
A Dinamarca é uma velha conhecida. Portugal ficou atrás dos dinamarqueses na fase de qualificação mas os homens de Morten Olsen não costumam fazer boas fases finais.
A Alemanha é uma das candidatas ao troféu a par da Espanha. Também é verdade que o historial contra os germânicos não é famoso.
Está dado o mote para o Euro 2012. Lembram.se do Euro 2000 onde Portugal também estava no grupo da Morte?
Pois bem, chegou a altura dos comandados de Bento unirem-se e provarem à europa do futebol que as camisolas não ganham jogos.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Novo tratado Paris-Berlim

Sarkozy pretende um novo tratado que responda à crise e reformule a Europa e as suas instituições.
A resposta à crise é para o Presidente francês resolvido com mais um tratado. Antes de avançar para um novo diploma é preciso saber se os tratados anteriores serviram para alguma coisa, nomeadamente se as Instituições europeias são importantes para tomar decisões. É que apesar da implementação de duas figuras com o tratado de Lisboa, Sarkozy e Merkel ignoram por completo Van Rompuy e Catherine Ashton.
Nicola Sarkozy afirmou mesmo que esse novo tratado terá de ser liderado pela França e pela Alemanha. Ora então, vai-se criar um tratado que seja apenas aplicável ao eixo franco-alemão....chamar-se-à Tratado de Paris ou de Berlim ? ou Tratato Paris-Berlim?
Se o problema da Europa é precisamente esta falta de união e diálogo, como é que o Presidente Francês tem o descaramento e coragem de afirmar que vai liderar um novo tratado e impor essas mesmas directivas aos restantes países. E quem não aceitar? Estará fora do Euro?
Eu propunha mesmo que a França e Alemanha criassem uma União Europeia sozinhos.....

Dezembro : mês de não fazer nada

Hoje o país festeja o ultimo feriado a 1 de Dezembro. A Restauração da Independência, à semelhança da implantação da Republica; vai deixar de ser um dia de descanso e de ressaca.

Se com o fim do feriado a 5 de Outubro, os Monárquicos festajaram e reclamaram um referendo sobre o regime político, com a proposta de acabar com o feriado de 1 de Dezembro a velha pretensão monárquica fica pelo caminho e assim o governo da Republica coloca Republicanos e Monárquicos em pé de igualdade.


Também acaba as ditas "pontes" em que milhares de portugueses aproveitavam para tirar duas semanas de férias antes das férias de Natal e Ano Novo. É uma certeza que o país vai trabalhar e produzir mais em Dezembro mesmo sem subsídio de Natal. Finalmente o ultimo mês vai ser normal e nunca mais ninguém irá dizer que "em Dezembro não se faz nada, é só feriados, tem o Natal e o Ano Novo".